ARIPUANÃ, Sexta-feira, 24/09/2021 -

NOTÍCIA

Prefeitos apresentarão lista de prioridades regionais ao governador

Prefeitos dos municípios dos 6 que integram o Consórcio de Desenvolvimento Econômico e Social – CDIVATapresentaram ao governador Mauro Mendes, as principais prioridades da região

Data: Sexta-feira, 16/07/2021 14:09
Fonte: José Vieira do Nascimento/ Mato Grosso do Norte

Os prefeitos dos municípios que integram o Consórcio de Desenvolvimento Econômico e Social do Vale do Teles Pires [CDIVAT] irão apresentar ao governo estadual, uma pauta com as principais prioridades da região.

O CDIVAT é formado pelos municípios de Alta Floresta, Paranaíta, Carlinda, Nova Bandeirantes, Apiacás e Nova Monte Verde e tem como presidente, o prefeito de Nova Monte Verde, Edemilson Marino.

Na quarta-feira, 14, foi realizada em Paranaíta, uma reunião que contou com a participação dos seis gestores, para discutir e elencar as prioridades necessárias para promover de forma conjunta o crescimento regional e melhorar a qualidade de vida da população.

A reunião foi aberta pelo prefeito anfitrião, Osmar Moreira, que destacou a importância da atuação conjunta dos gestores dos seis municípios, para fortalecer as reivindicações a serem apresentadas ao governador Mauro Mendes.

“Entendemos que o Consórcio não dever ser como antes, apenas para administrar maquinários. Hoje a realidade é outra, os seis municípios têm uma área de 5 milhões de hectares. É uma região rica, tem produção e é a bola da vez. Por isso, temos que unir forças para buscar o desenvolvimento, eleger as prioridades da região e apresentar para o governador. Cada município tem o seu projeto, mas há também o projeto regional”, disse Osmar.

O presidente do Consórcio, prefeito Edemilson Marino de Nova Monte Verde, afirmou que os atuais gestores dos municípios que compõem o consórcio, estão determinados para promover o desenvolvimento e a qualidade de vida da população da macro região.

“A princípio reativamos o consórcio para administrar os maquinários repassados pelo governo estadual, através do programa Mais MT. Mas entendemos que o consórcio não poderia se limitar apenas à manutenção de estradas e cuidar dos maquinários, mas que poderíamos definir uma atuação conjunta e cobrar as ações para atender as demandas regionais”, acentua.

“Todos os prefeitos falaram de suas prioridades e formulamos um documento com todas as demandas regionais, para entregar para o governo do Estado. O objetivo é desenvolver a região. Com o consórcio, vamos ter mais forças, pois estaremos representando uma população de 120 mil habitantes”, completa.

A prefeita de Carlinda, Carmem Martines, disse em seu pronunciamento, que agora chegou a hora desta região, que sempre ficou esquecida. “Esta região é importante para o crescimento de Mato Grosso. Por isso, temos que nos unir para atuar em todas as áreas, principalmente no atendimento especializado da saúde, para a população ter o atendimento perto e não precisar ir para outras cidades distantes como Cuiabá e Sorriso. Temos que nos unir para mostrar força e levar as questões regionais para o governador”, observa a prefeita.

O prefeito de Nova Bandeirantes, César Perigo, relata que seu município enfrenta diversos problemas que precisariam ser solucionados com urgências. Além da baixa arrecadação de ICMS, há também falta de regularização fundiária. E como não há indústrias no município, os empregos estão nas cidades vizinhas.

“Temos matéria prima, como o leite, a madeira, soja e a mineração, mas não temos indústrias para processar a nossa produção. Ficamos somente com os problemas sociais e as estradas e pontes para dar manutenção”, enfatiza.

Para o prefeito, outra questão séria em Nova Bandeirantes é a deficiência no setor de Segurança Pública, que inibe a vinda investimentos. “Fatos como o aconteceu recentemente no município [assalto nas cooperativas] acabam gerando uma imagem negativa da cidade”, pontua.

Desta forma, César enfatiza que Nova Bandeirante necessita, dentre outras prioridades, de atenção do governo no setor de Segurança Pública e de Saúde, além de investimentos que também favoreceriam a região, como a melhora nas condições de tráfego na MT-208, a ponte sobre o rio Juruena [que já está em
estudo] e que interligaria a região à diversas cidades como Aripuanã, permitindo o escoamento da produção mineral.

“Cada município tem suas particularidades, mas temos que pensar também no crescimento regionalizado e juntos cobrar estas demandas ao governo”, sugere.

Para o prefeito de Apicás, Júlio César, após 40 anos da chegada dos primeiros pioneiros, agora chegou a hora da região corresponder e retribuir com as pessoas que acreditaram em seu potencial. “Somos a bola da vez! Por isso, temos que nos unir para discutir os problemas regionais e fazer a cobrança ao governo estadual”, disse.

No setor de Segurança, os prefeitos cobram a estruturação da Politec-Perícia Oficial e Identificação Técnica- em alta Floresta, com mobiliário e profissionais como médicos legistas e mais policiais para reforçar a segurança nos municípios.

Na parte de infraestruturas, as demandas são melhorar a pavimentação na rodovia MT -208, com a conclusão de asfaltos nas cabeceiras das pontes, que permanecem sem pavimentação, duplicar pontes de apenas uma via e construção de várias pontes na MT- 206, MT- 160 e 419, além de levar asfalto até em Apiacá.

Lista de Prioridades:
1- Saúde
2- Tributação
3- Regularização Fundiária
4- Segurança Publica
5- Politec Alta Floresta
6- Tecnologia de Produção
7- Infraestrutura
8- Segurança no Transito (Construção de um viaduto na entrada de Alta Floresta
9- Mineração