ARIPUANÃ, Segunda-feira, 15/07/2024 -

NOTÍCIA

Operação mira em policiais penais e advogados que entravam com celulares no presídio

Data: Quinta-feira, 06/06/2024 09:26
Fonte: GAZETA DIGITAL/ Yuri Ramires e Pablo Rodrigo

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), força-tarefa do Ministério Público Estadual (MPE), deflagrou na manhã desta quinta-feira (6) a Operação Caixa de Pandora, que tem como objetivo investigar 19 pessoas, sendo policiais penais e 4 advogados suspeitos de facilitar a entrada de celulares e outros assessórios nas unidades prisionais de Cuiabá. 

Ao todo, são 43 mandados de busca e apreensão nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande e Cáceres. As ordens judiciais foram expedidas pelo juiz João Bosco Soares da Silva, do Núcleo de Inquéritos Policiais.

Consta na investigação que, para liberar o acesso dos objetos, o grupo conseguia vantagens econômicas de forma ilícita, causando prejuízos à segurança dentro e fora de Mato Grosso. 

Gaeco garante que os elementos probatórios colhidos durante a investigação demonstram que servidores do Sistema Penitenciário ingressaram e/ou facilitaram a entrada de aparelhos celulares e acessórios na Penitenciária Central do Estado, os quais eram utilizados pelos presos. Através dos dispositivos, os detentos praticavam e ordenavam vários crimes extramuros.

Advogados também participavam do esquema. Eles se valiam da prerrogativa de sua profissão para entregar aparelhos celulares, componentes e acessórios durante visitas aos internos no parlatório.

Os 4 advogados investigados tiveram suspenso o direito de exercício profissional por decisão judicial.